sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Jantar no restaurante do Hotel Emiliano.

Nossa confraria extendida aos maridos nesta semana foi no Restaurante Emiliano, na Oscar Freire, 384. Fiz reserva no próprio dia de manhã para a noite da terça-feira, véspera de feriado de 20 de novembro.

Foram oferecidos um brinde cortesia de champagne e uma entradinha do chefe, feita com salmão marinado. A seleção de pães do couvert estava ótima. O atendimento é extraordinário e foi um dos poucos restaurantes que já fui que não teve um "but" sequer.

Eu pedi um "ravioli de vieiras com bottarga" que estava deslumbrante. O ravioli era recheado de vieiras, com molho de caviar. Sensacional, MESMO! Meu marido provou o "leitão assado com mil folhas de batata" e amou! De sobremesa, testei a "interpretação de chocolate", composta por seis tipos diferentes de leituras de chocolate: pudim, bombom, cannelloni, mousse, gateau, sorvete… E meu marido o "mil folhas com caramelo, praliné de avelã e tangerina confit". HUMMM...



Tudo armonizado com a "Perrier Jouet Grand Brut" que pedimos para as mulheres. Maravilhosa a champagne.

Não é a toa que o Chef Stefano Impera foi eleito revelação deste ano pela Veja. E o Chef Patissier Arnor Porto não fica em nada atrás.

A conta foi cerca de R$ 450,00 por casal.

domingo, 17 de novembro de 2013

Restaurante Badalado.

Bom, já passamos da fase balada aqui em casa, mas confesso que sinto falta de animar um pouco mais às vezes do que só sair pra jantar. E uma solução divertida que acabamos encontrando ontem foi o Bistrot Bagatelle, recém chegado de NYC diretamente para os Jardins. Fica na Padre João Manuel, 950.

Já havíamos tentado ir antes, mas o local não trabalha com reservas (ao ligar, a pessoa que atendeu disse que deveríamos chegar antes de 20:30 para garantir lugares sentados para jantar). Quando chegamos da outra vez, havia fila de 2 horas por uma mesa, então desistimos.

Pensando nisso, quem mora por aqui sabe que São Paulo fica bem vazia em feriados, e então resolvemos tentar novamente. Chegamos 21:30 e havia ainda 2 mesas livres. Por pouco.

Decidimos não jantar pratos, e sim comer entradas, para não ter aquela sensação de saciedade exagerada e não estragar a noite. Os homens ficaram no whisky com água de coco e nós mulheres fomos de drinks. Aliás, o cardápio é bemmm variado nesse setor. Eu escolhi um "Spicy Lady", com vodka Ketel One, melancia, mel e pimenta! Uma delícia (tanto que tomei 4):


Não tirei foto da comida, mas pedi um tartare de atum, com abacate e jalapeños. Hummmm! Meu marido foi de Moules Frites (mexilhões). O dele estava deslumbrante. Mesmo.

Agora, a surpresa do lugar: aos poucos, as luzes vão diminuindo e o som do DJ posicionado em sua estação ao lado direito do salão decorado à moda francesa, com direito a lustres de cristal e móveis de couro rococó, começa a aumentar. Os lustres começam então a piscar e, sem perceber, estamos dentro de uma balada sentados nas mesas. Os garçons começam a dançar e a subir nas cadeiras. Logo, os clientes fazem o mesmo. Até eu!


Acho que das 23:00 até a 1:00am dançamos ao redor da mesa. A música estava ótima, a freqüência também. A conta? 9 whiskies, 5 capirinhas, 4 drinks, 2 águas de coco, uma água e 4 entradas, R$ 950,00, com o percentual dos garçons.


Cortando o cabelo do bebê.

Meu filho, com cerca de 1 ano e meio, estava todo descabelado!!! E, por mais que me doesse o coração, resolvi cortar os cachinhos, pois não havia penteado que durasse mais de 1 minuto, ficando ele sempre com aparência desgrenhada e desleixada… (risos)

E, por sorte, aqui do lado de casa, há um cabeleireiro especializado em cortes infantis. Exclusivamente. Então, o ambiente conta com cadeiras de naves espaciais, muitos brinquedos e até um autorama. A maioria das cadeiras tem televisor na frente, no qual colocam vídeos infantis pra distrair.

O mais bonitinho é que fazem um certificado do "primeiro corte" com uma mecha de cabelo. O máximo pra quem preza por recordações desse tipo.

Meu filho já foi a segunda vez, e o corte é R$ 48,00 (pelo menos para meninos). O nome do cabeleireiro infantil é "Lulla Balulla" e fica na Rua Jacques Félix, 626, na Vila Nova Conceição, especializado em cortes de bebês e crianças.



sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Tofutti - picolé cremoso SEM leite!

Meu marido tem sérias restrições ao leite e, de repente, estava eu no Empório São Paulo aqui da Rua Afonso Brás fazendo compras pra um almoço com meus enteados, quando fui passar no caixa e vi um freezer de uma marca de sorvete CREMOSO sem leite. Comprei na hora.

Chegando em casa, fui ler melhor a embalagem e vi: é à base de TOFU! Meu primeiro impulso foi um pouco de resistência, mas resolvi servir assim mesmo. Todos adoraram!!! E eu também.

Então, com esse calor que vem fazendo em São Paulo, fui até o Empório novamente e lá estava o freezer no mesmo lugar.

Comprei o "Marry Me" de creme com chocolate escuro, com 178 kcal, feito com açúcar orgânico. MA-RA-VI-LHO-SO. Também comprei o "Chocolate Fudge Treats" que não tem casquinha de chocolate, mas não tem açúcar e tem apenas 30kcal por unidade. Sinceramente falando, é mais um picolé, pois não é cremoso e doce como o outro, mas se a intenção for uma coisa mais insossa, mas hipocalórica e refrescante, é a solução (PS importante: por não ter açúcar, tem aspartame - há um chamado "Hooray" com stevia e cobertura de chocolate, com 120 kcal).

Da outra vez, comi os "Cuties" de "wild berry". Uma espécie de sanduíche de sorvete entre bolachas:

Foto do site da Tofutti, em inglês. Há também o site do distribuidor brasileiro.

Não sei o preço, pois, sinceramente, passei no meio das compras e não olhei.

As fotos abaixo pra identificarem o rótulo (a embalagem vem em francês de um lado e em inglês no outro).






Hummmmm!

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Jantar no Sakagura A1.

Eu e meu marido adoramos a culinária japonesa. Muito mesmo. E um excelente restaurante é o Aizomê (nos Jardins - mas faça reserva antes, pois é quase impossível sentar por lá sem reserva, ainda que cedo, 20:00hrs). Então, quando ouvimos que o chef (ou sushiman) Shin Koike havia aberto outra casa, ainda que com uma proposta diferente, resolvemos testar.

Fomos no dia 12 de novembro, terça-feira. Fica na Jerônimo da Veiga, 74, Itaim (ao chegar, descobri que é o lugar do antigo "Shimo"). O local estava razoavelmente cheio para uma terça, pois não havia lugar no salão do andar do andar de baixo, apenas no térreo:

(Foto do site oficial - www.sakaguraa1.com.br).

Começamos pelo Edamame, que meu marido AMA (é a soja verde na vagem cozida). Depois, fomos testar o tal "Umami" que seria o "quinto sabor", caracterizado pela sua conseqüência de salivação, e que apenas seria servido no Sakagura (esqueci de tirar foto, mas escolhemos o peixe branco marinado na alga). Estava bem gostoso, mas não consegui identificar esse quinto sabor não, talvez numa próxima.

Também pedimos dois temakis de "uni"(ovas de ouriço), um trio de ceviches (maravilhoso) e um "sushi 12" (excepcional também, mas vale notar que, se a intenção for dividir em duas pessoas, seria melhor pedir gentilmente que o chefe prepare os sushis em dupla, o que nós esquecemos de fazer).  O melhor desse "combinado", pra mim, foi o arenque, um peixe muito saboroso (estava em falta o peixe serra e o garçom nos recomendou o arenque, que é o peixe com a pele da foto abaixo). Tudo regado ao sake Hakushika (o da embalagem verde água transparente é o meu predileto).




Em resumo, um restaurante muito bom. Em que pese notarmos que o foco do cardápio é os pratos quentes, como as Japas (tapas Japonesas) ou o Kit Sakagura (com 5 entradinhas japonesas), a noite estava super quente e nos apeteceram mais os pratos frios.

A nossa conta: R$ 430,00 para o casal, com a bebida (R$ 165,00) e os 10%.





segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Sofitel Jequitimar - Guarujá - Uma viagem perfeita com bebês.

Eu e uma amiga decidimos ir com filhos e maridos para a praia. Mas, para onde???

Como somos de São Paulo, pensamos no litoral mais próximo: o Sul. Por mais que eu ame o litoral norte, uma criança no carro pode se transformar num inferno quando falamos de 3 horas de carro, extensíveis a infinitas a depender do trânsito.

Pois bem. Sempre ouvi críticas severas ao Guarujá, seja por conta da segurança do local, como da qualidade das praias. E nunca tive o menor interesse em ficar por lá, sempre desci só para almoçar (no Dalmo na Praia da Enseada) ou para qualquer evento pontual.

Fato é que decidimos dar uma chance ao hotel do Sílvio Santos (adoro o carisma desse apresentador! Ainda que não seja fã do estilo de programa televisivo…) e rumar ao Guarujá. A decisão foi tomada há 3 semanas, mas só fazia frio. A previsão apontava sol, mas sempre desconfio dela. Dessa vez, fez sol, e MUITO!!!


O preço: pesquisei por vários locais e o mais em conta que encontrei foi no site www.accorhoteis.com.br (mais barato que no site do próprio Sofitel para as datas). Ficamos no quarto mais simples, mas com vista para o mar, pagando R$ 1.080,00 a diária por casal. Além disso, reservamos um quarto para as babás. A tarifa incluía meia pensão (ou seja, café da manhã e almoço no buffet).

Há suítes com banheira que variam entre R$ 1.300,00 e R$ 2.230,00 para finais de semana nesta época.


Atividades com os pequenos: além das piscinas de temperatura agradável (adulto e infantil) e do mar, há o KIDS CLUB. Sensacional. Mesmo. Os pequenos tomavam café da manhã conosco. Às 10am havia frutinhas, 11:30 o almoço começava a ser servido aos pequenos, havia ainda o lanchinho da tarde às 16:00 e o jantar às 18:00. Meu pequeno amou.


E, para quem não leva babá, há a possibilidade de contratar uma na hora para ficar com a criança no local (devidamente cercado). Há diversos brinquedos, estrutura de cozinha para alimentação, copa de mamadeiras, berçário para troca e soneca, livros, lousas…

Piscina e praia: A piscina era uma delícia, meu filho ficou encantado! O hotel oferece algumas atividades, dentre elas hidroginástica. Foi um mico, mas muito divertido! O serviço da praia apresentava bebidas de boa qualidade, mas demorava um pouco. A Praia de Pernambuco em si é plana, com areia fina, mas peca por haver um pouco de lixo.





Legenda: Bebê extremamente acabado dormindo no papai!



Restaurantes: Fomos ao restaurante gourmet (Les Epices) jantar na sexta e descobrimos que é necessário fazer reserva. Esperamos no bar do hotel, tomando martinis que estavam maravilhosos. Sentamos super tarde e a comida, apesar de linda (vide fotos abaixo), deixou a desejar no paladar. Pedi um tamboril com mandioquinha que estava totalmente insosso e passado do ponto. Meu marido pediu o ossobuco e não gostou. As sobremesas então, a de frutas vermelhas e a de manga, estavam incomíveis…





Também fomos ao Mar Casado, para almoçar no sábado, na beira da piscina e que abre apenas aos finais de semana com foco em frutos do mar. O duo de carpaccio de salmão e tartare de salmão estava bem gostosinho de entrada. Ambos os homens pediram filet, mas não gostaram, pois disseram estar sem gosto. Meu peixe com talharim de pupunha estava razoável, mas nada de mais. Pedimos de sobremesa sorvete, para não ter chance de errar como na outra noite.



Jantamos no próprio bar do hotel. Tomei uma margarita deliciosa. Pedimos um mix árabe de entrada, com iscas de filet. Demoraram, mas estava bem gostosinhas. O sanduíche de salmão defumado também agrada ao paladar.

No domingo, almoçamos no Brisas, o buffet do hotel, onde é servido o café da manhã. E, para nosso espanto, foi a melhor refeição do hotel. As opções de saladas estavam ótimas (com alcachofra, queijos, camarão tigre…) e o salmão assado uma delícia. As sobremesas muito boas também. Sentar fora é uma boa opção para almoçar ouvindo as ondas do mar quebrarem.

Em resumo, a estadia foi ótima, deixando a desejar apenas pela comida nos restaurantes a la carte. Valeu cada centavo (cerca de R$ 5 mil com os consumos por casal, incluindo o quarto das babás).
Ao clima estava ótimo, os pequenos amaram a piscina, o mar e o kids club.


terça-feira, 5 de novembro de 2013

Aquário de São Paulo.

Um passeio de final de semana bem família é visitar o Aquário de São Paulo.

Fica na Rua Huet Barcelar, 407, no Ipiranga. Funciona de segunda a domingo (e feriados) das 09:00 às 18:00 horas.

O ingresso custa R$ 40,00 por adulto, sendo R$ 30,00 para crianças entre 3 a 12 anos e R$ 20,00 para maiores de 60 anos. Visitando de segunda-feira, há um desconto e o valor cai para R$ 25,00. No dia que fui (último sábado, 15:00 horas do dia 02 de novembro, feriado) por incrível que pareça, não havia filas para comprar os ingressos. Mas, se quiser evitar uma surpresa, há a loja virtual do aquário que vende os ingressos on-line.

O meu bebê tem 1 ano e 9 meses e curtiu bastante. Mas acho que acima dos 2 anos é melhor aproveitado o passeio. Há peixes incríveis e inclusive tubarões. Depois, ao final, está em "cartaz" uma exposição de dinossauros (você têm que passar por lá para sair). Vi que alguns pequenos ficaram com medo… O meu não ligou em absolutamente nada para os visitantes pré-históricos…

Desculpem pelas fotos, mas lá é proibido o flash...







domingo, 3 de novembro de 2013

Restaurantes - Tempranillo e Windhuk.

O Tempranillo é um restaurante com influências européias das cozinhas portuguesa, espanhola e italiana. Fica na Rua Jacques Felix, 381, na Vila Nova Conceição (no lugar do antigo Cosí, que eu a-ma-va).

A decoração do lugar é muito peculiar: paredes de tijolinhos aparentes com pinturas grafitadas e cadeiras multicoloridas aparentando antiguidade. Peço desculpas pois esqueci das fotos do ambiente!!! Mas há fotos no site da VejaSP com um link na mesma matéria sobre o fechamento do Cosí.

Não chegamos aos pratos principais, já que optamos por provar algumas das "tapas, bocados e antipasti" - comemos as punhetas de bacalhau (bacalhau cozido desfiado), o pulpo a la feria (polvo fatiado com páprica e flor de sal), eu a vieira ao forno (unidade servida na concha retratada na foto abaixo) e meu marido o caldinho de vôngole. Tudo muito gostoso, mas excepcionalmente maravilhosa estava a vieira.

De sobremesa, comi um bolo com sorvete de pistache e meu marido uma siricaia do alentejo (doce português). O bolo (tipo brownie) estava deslumbrante, já a siricaia, saborosa, mas nada de mais.



Já hoje acordamos com uma vontade de mudança de ares, de tipo de comida e de adquirir muitas calorias… (risos). Passamos na frente do Windhuk em Moema, na Alameda dos Arapanés, 1.400, e resolvemos entrar na casinha charmosa, simples assim. Ah, e que surpresa. E que graça!!!

Também não tirei foto do ambiente, mas há o site do restaurante aqui. Todo trabalhado em madeira esculpida, mesas com toalhas em xadrez. E, pasmem, quase 65 anos de existência.

Bom, quem me conhece sabe como tenho uma queda por lugares nostálgicos - apesar da pouca idade, cheguei a frequentar o Riviera na Consolação com a Avenida Paulista, com os proprietários guardados pelos cães de estimação servindo seus pastéis. ADORO o Sujinho na Consolação, mesmo com seus garçons "antigos" e mau humorados… Ou o Gato Que Ri no Arouche, com suas massas espetaculares. O Bar Brahma e a sua feijoada aos sábados.

Então, gostar do Windhuk era mesmo inevitável: garçons superrr antigos, ambiente familiar e comida boa. Cozinha alemã purinha, tradicionalíssima.

Pedimos um misto de salchichas fritas como entrada. E, como prato principal, um Eisbein cozido (joelho de porco), com batatas cozidas e chucrute, que serve duas pessoas (mas 3 comem muitoooo bem). Tudo acompanhado de uma Erdinger bem gelada.

A conta? R$ 125,00 com serviço… Nem tudo que é bom é caro afinal.