quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

FDS ou feriado no Rio de Janeiro: Copacabana Palace com crianças pequenas.

Fomos para o Rio de Janeiro no feriado da Consciência Negra! Nós e um casal de amigos querido com o qual sempre viajamos. E o destino de hospedagem escolhido foi o Copacabana Palace.


Bom, pra mim, é um dos hotéis mais lindos do mundo e sempre que passava em frente no RJ, tinha vontade de ficar por lá. Mas antes sempre ia a trabalho e então nunca compensava só para dormir (e pouco...risos).

Reservei uma suíte vista cidade, que conjugava com um quarto comum (a suíte vista piscina não juntava com quarto e a frente mar estava cara demais). E o tamanho foi excelente para ficarmos eu, marido, filhos e babá. O mais legal é que o quarto conectante abre para o corredor da antessala da suíte e não dentro do quarto, conferindo mais privacidade pra quem viaja com outras pessoas.

Nesse ponto, fiquei surpresa com a conservação interna do hotel. Fiquei no prédio antigo e estava com um pouco de medo. Mas o quarto estava IM-PE-CÁ-VEL. E o cuidado com as crianças foi demais: kit GRANADO de higiene, banheira, berço limpinho e cheiroso.

Quarto da suíte.

Closet na entrada do banheiro.

Banheiro da suíte.

Antessala da suíte (notem o Globo e o chá mate de cortesia, numa caixinha estampada com a calçada carioca).

Corredor que fechava, conectando o quarto à suíte.

Quarto comum.


Banheiro do quarto - com armário.

Kit higiene bebê.

Hall do 4o andar onde ficamos.

O room service também estava ótimo, e o tempo informado pelo atendente foi respeitado todas as vezes. Montavam a mesa bonitinho no quarto e tinham prato infantil. Ponto pra eles.

Filhote brincando de beber na taça.

A piscina também é o máximo. Parece cena de novela estar naquele ambiente que estampa páginas de revista. A única coisa é que o serviço de piscina estava bem mais ou menos. E demorou bastante (e isso para pedidos simples, como água e cerveja, que já estão, em tese, prontos na geladeira... Ou como diz meu marido: "será que foram colher o malte???" - sério - 40 minutos).


Descanso merecido. Ao fundo, Cipriani. À direito, Mee. Atrás, o Pérgula: tudo gira em torno da piscina, literalmente.

Falta uma lojinha de artefactos de piscina (não maiôs, pois estes estavam lindos na boutique), mas digo de bóias, roupas infantis e protetores. A sorte foi com o concierge nos deu uma bóia para meu filho, já que não havia levado.

Passando pela galeria (loja de moda praia e jóias) até chegar da recepção à piscina.

O café, incluso na tarifa no meu caso, era servido no restaurante Pérgula ao lado da piscina e na frente do hotel. Era bem variado, mas repetia todos os dias, mesmo nos tipos de pão. Só que tinha ovo, salmão defumado, panquecas, maple syrup,

Sorry, mas foi a única foto que tirei na correria do café da manhã!

No Pérgula, também aos domingos, após o café da manhã, é servido o brunch. Falam muito bem, mas é necessário reservar e não está incluso. Só que, logo depois de um farto café da manhã (com os filhotes acordando às 6:00am alguém consegue ficar sem comer até o meio-dia???), é difícil encarar uma rodada logo depois.

Além disso, há dois restaurantes (além do Pérgula) mais sofisticados na beira da piscina. O Cipriani (italiano e franquia) e o Mee (asiático).

O Cipriani tem um ambiente e garçons simpáticos, mas a comida não me encantou - comi atum selado com foie gras e aspargos e de sobremesa uma esfera de chocolate com calda quente de caramelo. Bem mediano estava no dia (Miami é bem mais gostoso, na minha humilde opinião - veja aqui o post dos Melhores Restaurantes de Miami 2015).


Filet mignon de atum com foie gras.

Esfera de chocolate.

Já o Mee, que ganhou uma estrela Michelin ano passado, estava demais! Pra quem gosta de comida asiática, os cortes estavam perfeitos, a seleção do cardápio variada e apresentação dos pratos e qualidade dos peixes impecáveis. Comemos vieiras trufadas, carpaccio de salmão com ovas e crispy e sashimis variados do chef. Tudo muito bom!




Bom, choveu no final de semana, então nada de conhecer os pontos turísticos. Como boa paulistana sempre no RJ a trabalho, não conheço nada além dos arcos da Lapa e Santa Tereza, quando terminava o dia com chope. Ficou pra próxima o Jardim Botânico, o trenzinho do Cristo e o Pão de Açúcar. E lá fomos nós ao Shopping Via Parque e depois ao Barra Shopping - andar na roda gigante de natal, nadar na piscina de bolinhas (a de SP era beeem maior e melhor, com escorregas) e depois comer no Gula Gula (pra quem gosta de saladas, a de cuscuz com salmão é divina e a de quinoa também) e jogar arcades.



O legal é que nos feriados e domingos a Av. Atlântica fecha na pista mais próxima ao mar e o caminho fica aberto aos pedestres, que podem alugar bikes (simples ou de dupla, com 2 lugares para crianças pequenas na frente). Alguns quiosques também providenciam música ao vivo ao entardecer.

Bom, em resumo, olhe a previsão do tempo, porque se não a piscina (que é a melhor parte do hotel) e os passeios ficam prejudicados. Em feriados não há muito o que fazer, já que é costume se reservar com mais antecedência.

Copacabana Palace com crianças? SIM. Não há espaço kids, nem nada, mas considerando o aperto que costumam ser os hotéis de Copa-Ipanema, é um dos que tem mais infra. Ou você pode ficar além dos túneis da Barra e não ter o calçadão para descer e passear. Não conheço o Fasano para dizer se seria melhor. Alguém já foi?

terça-feira, 24 de novembro de 2015

IL TARTUFO BIANCO... Aiaiai - um encontro no Fasano.

Quem me conhece sabe que tenho um paladar que é amante de iguarias. Um dos maiores prazeres da minha vida é experimentar novos sabores. E isso inclui ovas, queijos, fungos...risos E o que mais gosto é identificar dentre esses novos experimentos, sabores que me acompanham pelo resto da vida. Minhas papilas gustativas deliram em pensar em alguns deles, como é o caso do queijo da serra da estrela de Portugal e das trufas brancas da Itália.

Ana passado, estava no finalzinho da gravidez nesta mesma época do ano e então as trufas passaram batidas. Mas neste ano fiz questão de ir apreciá-las, lembrando que as trufas pipocam nos restaurantes mais refinados geralmente entre outubro e dezembro.

E escolhi o Fasano. E que escolha.

Pote de ouro no final do arco-íris do Fasano...

Desde o atendimento, passando pela entrada, estava tudo maravilhoso. Exceto pela sobremesa, que apenas estava "boa". Mas também, depois de uma trufa raladinha sem qualquer tipo de miserê, meu paladar estava mal acostumado:

Entradinha de burrata com presunto parma. O melhor presunto desse tipo da minha vida.

Raviolonis de espinafre e gema, salpicados de trufas. HUMMMMMMMM....

Mousse de chocolate com sorbet de blueberries.

Conta. Bom, a conta. Um prato de trufa gira em torno de R$ 500,00 por aí. Lá ia entre R$ 600 e 750 a depender do prato.

Outros lugares para degustar a trufa branca em SP: sei que sempre tem no La Tambouille e no Piselli dos Jardins. Além deles, vi no cardápio do Ristorantino (que falei no post aqui).

Uma opção mais econômica: se estiver na Europa nesta época, se jogue nas trufas, principalmente na Itália. São bem mais em conta. Nos EUA também ficam mais baratas, mas nem tanto assim, por conta do dólar: os pratos giram entre 100 e 200USD (era vantagem no dólar a 2, até 3)...

Assunto nível CARAS: De quebra, na hora da saída, vi Val Marchiori no bar e realmente ela é bem mais bonita ao vivo.


quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Ristorantino - Uma grata surpresa!

Sabe quando vc acha que já conhece todos os bons restaurantes da cidade? Então... Quando você recebe a sugestão de testar um novo, dá até medo. Mas minha amiga do coração, com quem compartilho muito os gostos particulares, contou que conheceu este lugar e que simplesmente amou. E lá fomos nós.

Chama-se RISTORANTINO (ex-LOI) e fica nos Jardins, na Melo Alves (na mesma calçada e um par de casas para cima do Le Jazz) e pelo que o nome sugere, é italiano.


O ambiente é super agradável e aconchegante, em tons pastéis. A casa é super pequena e isso lhe confere um ar bem intimista e bem requintado. Mas é no atendimento ao cliente e na comida que está todo o diferencial.

A mesa é atendida com a maior cortesia imaginável, com toda a simpatia fina que se pode esperar (acho que quis dizer por "simpatia fina" aquele garçom e maitre com um leve sorriso no rosto, tom adequado e baixo de voz, sempre solícito). Acho que foi o restaurante que me senti mais bem atendida da vida.

Para fechar com chave de ouro, a comida era divina. PONTO. Simples assim. Pedi uma massa de sêmola com vieiras, alcachofra e molho de limão siciliano que comi rezando. Uma explosão de sabor que não se espera para essa massa sem ovos e diferente.

Consommé com uma massinha da casa, oferecida pelo chef.

Esta massa é um absurdo de deliciosa...

Disse o meu marido que a dele não ficou atrás.

Só a sobremesa, no meu caso, que não estava entre as melhores. Escolhi um suflê de chocolate que não achei tão saboroso assim (acho que pelo padrão elevado que o Parigi estabeleceu para esse doce, meu paladar ficou um pouco frustrado desta vez). Mas o sorvete que acompanhava o suflê era estonteante e cremoso ("pensa" num sorvete de creme delicioso - pois é, nem eu sabia que podia ser tão bom assim, já que sempre achei esse sabor meio insosso).


O site ainda não está no ar. Fica na Melo Alves, 647, São Paulo - SP.

PS: Aos amantes de trufas brancas - está aberta a temporada 2015 e lá já tem! Cerca de R$ 580,00 o prato com a iguaria.

Junto com o Vecchio Torino e Gero, este pequeno restaurante agora lidera minha lista de melhores italianos.

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Grande Hotel Senac - Um hotel incrível para crianças.

Já fui ao Grande Hotel SENAC em Campos do Jordão algumas vezes, e até já fiz um post aqui.

Portaria do hotel.

Desta vez, fui no feriado de Dia das Crianças. E, A-DO-REI!!! Ainda mais.

O hotel não estava tão cheio como de costume, pois Outubro é baixa estação e com o calorão, muitos optaram pela praia. Isso possibilitou que a comida estivesse super bem cuidada (tudo estava delicioso e a variedade continuou igual à de sempre).

E o café da manhã era uma perdição, com direito a croissants e pães de queijo quentinhos, ovos mexidos com bacon, tapioca ou omelete, frutas diversas, pães e frios dos mais variados, bolos, waffles com a original maple syrup...





Dá pra ver que não falta nada no café da manhã, né?

Pratinho de entrada no almoço. Lógico que depois me servi de um principal, né?

Por ser um feriado infantil, a programação dos pequenos estava recheada: e lá tem o clubinho que começa com 3 anos! Eu costumo não deixar meu filho lá sem alguém junto (usualmente contrato uma baby sitter/babá - indico a Fernanda e a Kátia, ambas excelentes), mas é possível já deixar as crianças desacompanhadas a partir desta idade. E os monitores são DE-MAIS!

Teve festinha de dia das crianças com gincana para pais e filhos no gramado, no tema Sítio do Picapau Amarelo; oficina de pintura de caneca; oficina de brigadeiros; caça ao tesouro pirata pelo hotel. Enfim, muita coisa divertida que fizeram meu filho pedir por dias a fio para voltar para o hotel "grande".






A piscina, como sempre, foi super divertida. É imensa, aquecida e coberta.


Jogamos tênis na clínica que costuma ter pela manhã. E, por coincidência, era um professor da nossa academia, o Edgard (TEA OPEN), que estava lá.


A brinquedoteca do hotel é uma graça também.

O único but do meu outro post era o quarto. Havia ido com meu filho sem a menor ainda e já tinha achado pequeno. Pra não correr esse risco mais, solicitei uma categoria superior e aí sim... Bastante espaço: uma cama de casal, uma de solteiro e dois berços, com banheirinha. Deixam redutor de assento e aquecedor de mamadeira no banheiro. VERY kids friendly.

O sabonete da Mônica e o patinho foram colocados pelo hotel!



PS: Há fotógrafos no hotel que acompanham as atividades principais e a piscina. É possível comprar as fotos no dia do check out.

PS2: Se for fazer mamadeira, leve água se não quiser ficar indo na copa baby (1o andar) toda hora. Ah, e a copa baby, apesar de apenas ter frutas, água, microondas e geladeira, é super limpa e conservada.